Seu filho rumo ao sucesso: ensine-o a lidar com a frustração

happy young woman victory sign

Quando as crianças empreendem um caminho em busca da independência e autonomia, é inevitável que se deparem com obstáculos, o que as leva a um desgaste desnecessário de tempo e energia para atingir seus objetivos, independentemente dos mecanismos que utilizam.

A importância de ajudar nossos filhos a desenvolverem resiliência

Infelizmente, essas tentativas às vezes não rendem os frutos esperados, e nossos filhos se tornam vítimas fatais da frustração, ou seja, da incapacidade de satisfazer suas necessidades ou desejos.

Atualmente, os índices de intolerância à frustração estão em seu ápice, por isso nos vemos na obrigação de multiplicar nossos esforços para que esses futuros adultos possam mudar os indicadores.

Elimine o “agora mesmo”

Uma boa prática para reeducar nossos filhos e fazer com que sua tolerância à frustração aumente é eliminar o “agora mesmo” de nossas ações; ou seja, priorizar. Por exemplo, quando eles não conseguem o que desejam imediatamente, muitas vezes ficam com raiva e até gritam para mostrar sua insatisfação.

Ensinar a eles que suas necessidades nem sempre são primordiais ajuda-os gradualmente a começar a reestruturar seus pedidos, estando cientes de que nem sempre conseguirão o que querem.

Quanto mais longo o caminho, melhor o resultado

Desde pequenos, eles procuram acelerar os processos para atingir seus objetivos à velocidade da luz, por isso tendem a esquecer alguns passos ou ficar desapontados quando não conseguem o que esperavam.

Para que isso não aconteça com tanta frequência, lembre-os de que quanto mais se esforçarem em uma atividade, maior será a recompensa. Dê a eles a missão de plantar uma semente ou de observar uma lagarta se transformando em borboleta. Em ambos os casos, eles perceberão que vale a pena esperar pelo que desejam de verdade.

Elimine a bolha da superproteção

Pare de superprotegê-los. Ainda que seja difícil deixá-los crescer, isso é essencial para que eles possam experimentar o bem e o mal (sim, também o mal), pois, agindo assim, você lhes dá a autonomia e independência de que precisam para aprender a controlar seus impulsos.

Reforce suas boas atitudes com “recompensas” (algo simbólico) e corrija as más com amor e dedicação. Dedique tempo a eles e seja o exemplo que precisam para saberem como agir diante das diferentes provações da vida.

Tente dar mais ênfase ao positivo em vez de o negativo. Por exemplo, quando seu filho cometer um erro, em vez de criticá-lo por isso, concentre-se no que ele fez de bom e comente sobre seu erro. Assim, quando se deparar novamente com uma situação semelhante, ele poderá se corrigir.

Seja tolerante com seus erros, inclusive com suas efusões emocionais. Agindo assim, você deixa a porta aberta para que, quando tiverem algum problema ou precisarem de um conselho, você seja sempre sua primeira opção.

E lembre-se: você é o exemplo que eles seguem. Quando algo não der certo para você, aja com calma, reconheça seu erro e diga a eles que fará melhor da próxima vez.


Traduzido e adaptado por Erika Strassburger, do original Guía a tu hijo al éxito: enséñalo a lidiar con la frustración
Via Familia.com.br

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.