Como lidar com filhos jovens e adolescentes

Como lidar com filhos jovens e adolescentes

Quem tem filhos adolescentes, sabe que as brigas e discussões podem ser muito frequentes nessa fase. Nesta idade, eles costumam ter opiniões diferentes dos pais, e por isso, é normal não concordarem em muitos assuntos. Existem alguns motivos que são os mais comuns nestes tipos de discussões, e há também formas de evitá-las ou diminuir seus efeitos. Veja algumas dicas simples de como os pais podem agir, seja para superar ou mesmo evitar os conflitos com filhos e filhas jovens ou adolescentes:

Seu filho cresceu!

O primeiro passo para uma boa convivência é entender que o filho cresceu. Nada irrita tanto um jovem ou um adolescente do que ser tratado como criança. Compreender isso é um avanço e tanto.

Diálogo, a palavra-chave

Estar aberto a ouvir e entender o ponto de vista dos filhos pode evitar ou minimizar muitos conflitos nessa fase. A falta de diálogo distancia os jovens e é uma das principais causas das dores de cabeça dos pais.

Nem tanto ao mar nem tanto à terra

A maioria dos problemas na relação do pai com os filhos jovens baseia-se numa espécie de luta pelo poder. Agir de maneira autoritária, portanto, não é apropriado para os pais. A permissividade (em que os pais deixam os filhos decidirem e fazerem o que quiserem) também não é o caminho. A receita ideal para estabelecer limites é a negociação. Ou seja, pais e filhos devem buscar juntos uma solução conciliatória, na qual ambos são ouvidos em suas necessidades, mas também devem estar dispostos a ceder.

Liberdade com responsabilidade

Em vez de proibir seu filho de fazer algo, procure expor sua opinião a respeito e, principalmente, demonstrar as consequências de certos atos e comportamentos, com base na sua experiência. Assim, o pai se coloca na posição de um amigo e faz com que o jovem reflita sobre suas próprias atitudes.

Participe mais do mundo dele

Mesmo com todas as atribuições que a vida lhe impõe, seja um pai presente. Coloque-se sempre à disposição para conversar ou ajudar seu filho em alguma necessidade ou indecisão que ele apresente. Participar de alguma atividade que ele gosta (esportes, academia, passeios, cinema, shows) é uma excelente maneira de estar próximo. Mostrar interesse pelo universo dele, como os amigos, o ambiente na escola ou o estilo de música preferido, também ajuda.

Mais que um pai, seja um amigo

Nunca se coloque em uma posição de superioridade. Mostre a seu filho que você também têm fraquezas, interrogações, insegurança. Ou seja, que você é humano como ele, apenas um pouco mais experiente. Isso ajuda a criar uma relação de confiança e uma amizade muito sólida, à prova de conflitos.

Fonte: Terra – Vida e Estilo

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.